terça-feira, 24 de agosto de 2010

Vamos discutir sobre a Sociedade do Consumo...


Sociedade de Consumo é um termo utilizado em Economia e Sociologia para designar o tipo de sociedade que se encontra em uma avançada etapa de desenvolvimento industrial capitalista e que se caracteriza pelo consumo massivo de bens e serviços, disponíveis graça a elevada produção dos mesmos. O conceito de sociedade de consumo está ligado ao de economia de mercado e, por fim, ao conceito de capitalismo, entendendo economia de mercado aquela que encontra o equilíbrio entre oferta e demanda através da livre circulação de capitais, produtos e pessoas, sem intervenção do Estado.
(Imagem retirada do site:  http://www.blograizes.com.br)
O Capitalismo e a Sociedade de Consumo
Nas últimas décadas houve um aumento significativo do consumo em todo mundo, provocado pelo crescimento populacional e, principalmente, pela acumulação de capital das empresas que puderam se expandir e oferecer os mais variados produtos, conjuntamente com os anúncios publicitários que propõe o consumo a todo o momento. Chamamos de consumo o ato da sociedade de adquirir aquilo que é necessário a sua subsistência e também aquilo que não é indispensável, ao ato do consumo de produtos supérfluos, denominamos consumismo.

Para suprir as sociedades de consumo, o homem interfere profundamente no meio ambiente, pois tudo que o homem desenvolve vem da natureza, aqui nesse contexto é o palco das realizações humanas. Através da força de trabalho o homem transforma a primeira natureza (intacta) em segunda natureza (transformada). É a natureza que fornece todas as matérias primas (solo, água, clima energia minérios etc) necessárias às indústrias.
O modelo de desenvolvimento capitalista, baseado em inovações tecnológicas, em busca do lucro e no aumento contínuo dos níveis de consumo, precisa ser substituído por outro, que leve em consideração os limites suportáveis na natureza e da própria vida.

O planeta já mostra sinais de esgotamento, um exemplo disso é a escassez de petróleo que é um recurso não renovável, e sua utilização corresponde a 40% da energia consumida no mundo, tendo em vista a sua importância no cenário mundial a situação é preocupante pois alguns estudos mostram que o petróleo existente será suficiente por mais 70 anos.

Os problemas ambientais diferem em relação aos países ricos e pobres, a prova disso é que 20% da população são responsáveis pela geração da maior parte da poluição e esse percentual é similar ao percentual da população que possui as riquezas do mundo. Enquanto essa população vive em altos níveis de consumo, outra grande maioria, cerca de 2,4 bilhões de pessoas, não possui saneamento, 1 bilhão não tem acesso a água potável, 1,1 bilhão não tem habitação adequada e 1 bilhão de crianças estão subnutridas.
 

Consumo em massa 
 Shoppin Center

O fenômeno do consumo de massa, nas classes médias do início do século, também não deriva de uma natureza humana insaciável. Ganhar o suficiente para prover as necessidades básicas e pequenos luxos era o que orientava a prática de consumo da maior parte das pessoas, como observam os
economistas no início do século XX. Preferia-se ter mais tempo livre do que rendimentos extras em função de mais horas de trabalho. A preferência pelas horas livres em detrimento das horas de trabalho preocupava os empresários do começo do século, dada a quantidade de produtos que gerava acúmulos de estoques em armazéns e fábricas. A crise da cultura do produtor, fenômeno tipicamente americano, fez a comunidade empresarial buscar nova orientação para a psicologia do trabalhador. Neste caso a nova orientação era a ampliação da figura social do consumidor. Era necessário transformar a cultura
do produtor em cultura do consumidor.

O marketing passou a ter uma importância que não tivera até então para o sistema de produção. Os anunciantes também redirecionaram os argumentos dos anúncios. Os apelos de utilidade e informação descritiva foram convertidos em apelos emocionais por posição e diferenciação social. “Transformar o luxo dos prósperos em necessidade das classes mais pobres” era a tese defendida por economistas liberais do consumo dos anos 20.


A propaganda de acesso ao crédito é a propaganda do dinheiro, isto é, do próprio capital, do acesso aos meios de consumo. Neste caso, o meio de consumo se transforma ele mesmo num objeto. O que o crédito do cartão nos diz através da propaganda? Você está perdendo a virtualidade, a potência, a
credibilidade no mercado, o acesso aos meios de consumo, e eu os estou lhe dando de volta. Tal operação nos implica em um laço com o outro e nos faz contrair uma dívida, nos submetendo ao paradoxo do crédito: a venda de uma dívida. Logo, obter um crédito é contrair uma dívida. Nos dias de hoje o endividamento não é um estado de exceção como fora nos tempos de capitalismo industrial. O homem que tem crédito na sociedade contemporânea é um homem endividado. Seus cartões de crédito oferecem o acesso aos bens e serviços através da utilização de senhas em sistemas digitais, fazendo-o um consumidor condenado à dívida perpétua. Entre todas as senhas que organizam as trocas flutuantes na internet, a mais prestigiosa é a do cartão de crédito, constituindo uma tecnologia emblemática da sociedade de controle. A lógica do cartão de crédito, como vimos, é uma lógica da dívida que não cessa.


Fraturadas as bases da cultura do produtor instala-se uma nova configuração de realidades econômicas formando as bases da cultura do consumidor, que nos desafia a inventar novos vínculos, contratos e limites que definirão as relações humanas no século XXI.
 Feira do Brás em SP

Fontes: trechos dos textos da Wikipedia e

mundo UOL Educação, trecho do texto: SUBJETIVIDADES E LAÇOS NA SOCIEDADE DE CONSUMO de Fátima Milnitzky.


***************************************************************

Dica de filme leve, e interessante sobre o tema:
"Delírios de Consumo de Becky Bloom"

14 comentários:

  1. Hummm! novo bolog, que legal... se for para falar de consumo, pode parar, eu sou uma compulsiva consumidora, parei um pouco por questões p$icológica$ rsrrs... Vou assistir ao filme, valeu pela dica.

    Então teremos mais conhecimentos na área social? que bom será ótimo ter mais um tema que nos leve a um ótimo aprendizado....

    Bjsss e sucesso.

    Bjssss

    ResponderExcluir
  2. Eu sou muuuuuuuito consumista, acho que isso é um problema da maioria.

    sobre seu blog, está lindo.
    bjus!!

    http://novamodaemdestaque.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog e ja estou te seguindo,se der faça o msm por mim.Abraços!!!

    http://circulacaoup.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, querida
    Tenha uma SURPREENDENTE E MARAVILHOSA primavera!!!
    Excelente fim de semana!!!
    Hoje ofereci a VOCÊ uma música especial...
    Abraços fraternais

    ResponderExcluir
  5. FACULDADE, SIM; OBRIGATORIEDADE, UM ABSURDO!


    A Lei – independentemente de ser seu enunciado um dispositivo constitucional ou infraconstitucional, pode.............

    ResponderExcluir
  6. Olá, Nanda...
    Muuito bom o seu blog, suas idéias e seu bom gosto.
    Estou te seguindo.
    Beijos no coração,
    EDU (http://edurjedu.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  7. CONVITE VIP
    Olá, querida Nanda
    Passa amanhã em meu Blog... dia 01/10... a partir das 10h... e não teremos hora para acabar a festividade...
    Oferecei um coquetel de 7 botões de rosa orvalhada...
    Não falte, vai me fazer MUITO feliz e desejo fazer-lhe também.
    Abraços fraternais

    http://espiritual-idade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. eu so A consumista! rsrrsrsrs
    não da pra controlar isso

    ResponderExcluir
  9. Não sou tão consumista, graças a Deus! rsrsrs
    Seguindo esse blog tbém =)

    ResponderExcluir
  10. Olá, Nanda
    Venho propor-lhe algo no meu post de hoje...
    Conto com sua participação amiga.
    Excelente semana,cheia de ricas bênçãos!!!
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  11. Esse filme é fofo! Tem coisasincriveis dá pra rir chorar e refletir!! Vale a pena!

    ResponderExcluir
  12. Muito bem dito, tudo o que esta aqui escrito reflecte a nossa sociedade actual.
    Nesse momento estudo para os exames de economia e talvez me ocorra de referir alguns dos itens aqui mencionados!

    ResponderExcluir